quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

DESAFIO


Escrevo-te ...
Porque me sinto só……….
Tenho tempo para preencher ….

Tal como a Mrs Dalloway,
preciso de apagar o silêncio….
Afugentar medos e desanuviar hesitações….
Gritar bem alto ….
Numa frustração que nem sempre consigo ultrapassar….
E que dói….

Escrevo-te
....Porque as palavras flúem….
Em mim…
Nesse meu coração…
Que se revolta contra o “luto”…
Um “luto” imposto por uma paixão desperdiçada….

Escrevo-te
.......Porque arranco agora esse véu negro….
Fecho a porta com estrondo….
O que fica espalhado pelo chão….
Fica espalhado pelo chão….

Porque hoje….
Eu só escrevo…….
E escrevo sem “lutos” e sem silêncios……….

E se repito as palavras….
É porque estas são sempre um recomeço………….


(Texto já colocado no blog, em 2006, mas reescrito e desenvolvido)


O Desafio do mês é:


Desenvolver um texto que pode ser uma carta ou não...
O texto tem que começar obrigatoriamente
por "Escrevo-te" e incluir a palavra "recomeço".
Já sabem as regras:

Podem escrever aqui ou no vosso blog..

17 comentários:

pin gente disse...

hei-de escrever-te, marta

talvez uma carta

um beijo
luísa

Sofá Amarelo disse...

Escrever e recomeçar são talvez as palavras mais importantes da minha vida. Deste desafio gosto e possivelmente vou fazê-lo no meu blog. Obrigado.

Muitos beijinhos!!!

Carla disse...

as palavras têm o incrível poder da renovação...talvez escreva sim
beijos e bom fds

Eudemim disse...

Marta,

Gosto muito do novo “look”. Está com um Ar-Mais-Doce !
Vou aproveitar mais uma vez o teu desafio e se me permitires gostava utilizar um link do teu blog no meu. Deixas ?

Bjs daqui

lobices disse...

...parabéns pela página

Betty Branco Martins disse...

._______querida Marta



.as

palavras


que se arrancam


_________da carne

como frutos não.amadurecidos


mutilando

.a

alma

o______sangue tinge com

a sua cor.o.corpo


enquanto

.os abutres esperam


a hora



.da rapinagem




_________///


se conseguir tempo escreverei a carta:=)









beijO______ternO
bFsemana

cõllybry disse...

Em cada palavras, às vezes se reinventa e se renasce...

Bjos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo o seu poema reescrito e recomeçado. Não sei se sou capaz, neste momento da minha vida, mas tentarei.
Marta:
Postei no Galeria. Gostaria muito que vc fosse apreciar o meu post. Se quiser, depois vá aos meus outros Blogs.
Um abraço,
Renata

Sol da meia noite disse...

Quando arrancamos esse véu negro e olhamos a luz de frente, ainda é tempo de resgatar muito do que julgamos ter perdido.

Muitos bonito o que escreveste, bem como o novo visual de teus espaços.


Um beijinho *
:-)

ematejoca disse...

Olá Marta!
Aceito o desafio. É inovativo e obriga-me a escrever na minha língua, coisa que me faz bem. Logo, que esteja pronto, trago-o aqui.

Boa noite!

Bruxinhachellot disse...

Escreveste bem. Lindas palavras.

Beijos doces de sol e de lua.

ematejoca disse...

Olá Marta!

Voilá o desafio:


Adeus Mãe !
Adeus Querida!

Escrevo-te -
palavras num papel branco
palavras de saudade - palavras de remorso
mil palavras - as últimas palavras

Adeus Mãe !
Adeus Querida!

Não ouves chorar o meu coração
- nestas palavras perdidas
Tu dormes serena e bela
No teu caixão de marfim -

Escrevo-te -
palavras antigas - palavras de sempre
Pouso-as nas tuas mãos frias
brancas
como puras acúcenas

Adeus, Mãe !
Adeus Querida!

Na morte - não há "recomeço"!


Espero que aceites estas palavras -
Marta!

angel bar disse...

Resposta ao desafio: Long Drink Morning Flight no Angel Bar. Bom Domingo.

angel bar disse...

Obrigada, Marta. Já coloquei, por lá, de onde veio o desafio, tinha-me esquecido. Linkei para aqui. Um beijinho.

pin gente disse...

olá, marta
já escrevi a carta.
falta meter no envelope, selar e enviar. quando acontecer aviso.
beijo, minha amiga
luísa

pin gente disse...

agora li "do mês"
já não posso enviar a minha carta?

Carla disse...

amiga não sei se serve, mas deixo-te aqui o meu "Escrevo-te"...se não for assim diz onde o posso colocar

Há tantas formas de amar...como se o amor se quisesse tornar eterno nas diferentes variações que consegue oferecer.
Ninguém ama da mesma maneira, ninguém sente esse sentimento de forma igual...em ti as palavras foram a chave para abrir a fechadura que o verbo amar tinha encerrado.
Palavras em ritmo de brincadeira, primeiro...palavras revestidas de vida, paixão de desejo...até que das palavras nascemos nós numa aliança mágica, quase perfeita!
sentir as palavras como nos sentimos...quebra-se a distância e vive o toque mesmo sem o contacto a pele queima e nela escrevo-te sem precisar de reinventar os poemas de amor.
Escrevo-te na carne a explosão de quereres que a alma solta e crio poemas em linguagem decifrada que só os dois entendemos.
Escrevo-te em mímica, porque as palavras se cansaram deste amor sem fim e em cada recomeço é maior a necessidade de te ter em mim...amante da lua que ardes nos raios de sol que em ti deposito.
Escrevo-te para que o infinito não me iluda no rumo a seguir, para que consiga ordenar os desalinhos que em mim cresce...escrevo-te porque escrita a palavra amar se crava em nós como marca indelével de uma vida onde os segredos são pétalas em forma de sorriso que soltamos quando os nossos dois corpos se encontram na alameda do prazer em que conseguimos vencer.
Escrevo-te apenas para dizer que te amo, com as letras que te ofereci como lágrimas prateadas a escorrer no rio do teu corpo que guardei em mim...