quarta-feira, 4 de junho de 2008

SENTIR NA PELE







Nem sei o que dizer…

Essa prepotência de que falas….

Sinto-a igualmente na pele….


Uma chicotada contínua…

Numa ferida que não fecha…………

Com o sangue sempre a escorrer………



Por entre ameaças veladas,

“Bocas” irónicas,

.....intrigas infundadas………



Prudência….……….

Segredam-nos os outros…


Alternativas faltam…….


E só ouvimos dizer….


“Antigamente não era assim!!!”…………….


mas isso....num grito surdo.....

numa nova chicotada

..... marca-nos ainda mais a pele……….





Foto "Memórias de Pele 2" de Elsa Mota Gomes, 1000 imagens

8 comentários:

Pekenina disse...

A conversa, a serenidade e o respeito são a base de tudo. Sem isso tudo o resto é areia cimentada com água.

Beiinho,
Pekenina*

Só Eu disse...

Belissima reflexão!
Parabens

Secreta disse...

E há marcas tão profundas , que nos acompanham pela vida afora...
Beijito.

Ácido Cloridrix HCL disse...

Brilhante,,, e soberba a ilustração!!!! HCL

Sol da meia noite disse...

Conheço este sentir... a brutalidade das palavras que se entranham no nosso ser.
Talvez o silêncio, a indiferença, o alheamento total, sejam defesas. O desprezo e cabeça levantada, talvez as mais poderosas.

Beijinho *

Alexandre disse...

A pele é a primeira a sentir as sensações, as chicotadas como tu chamas, porque a pele - além de revestir o nosso corpo - pode simbolizar a entrada do nosso mundo, muitas vezes é a fronteira porque depois do toque tudo será diferente para sempre!

Muitos beijinhos, Marta!!!

BANDEIRAS disse...

Querida amiga,

As palavras marcam como chicotes a pele em ferro e brasa.
É preciso viver.
abs

Joseph disse...

Marta
Olá

Como eu te percebo.
De qualquer forma, fala mas não guardes tudo interiormente...

Há certamente coisas que embora te marcando, terão solução.

Não estás só a falar, estás também a lamentar-te.

A vida continua, querida amiga!

Beijos ternos no teu coração;)**
(Muita PAZ)