sexta-feira, 20 de junho de 2008

EMPATIA









Um dia…

Eu conto tudo…

Até termino a história que comecei

e não consigo acabar….

Não porque não tenha ideias…

Não as consigo coordenar….

Não crio empatia e como não fazem sentido….

Esqueço-as.... Caiando-as...

Hoje, estou sentada aqui…

Na posição favorita – a de Buda – à beira do mar…….

Falo muito no mar, não falo??

Aqui....
Sinto-me feliz e solta…



(Foto de José Gama, 1000 Imagens)



(Textos protegidos pelo IGAC)

6 comentários:

cõllybry disse...

O mar, que sempre encanta e tão bem faz...Esquecer e recriar faz parte também...

Beijito

Pekenina disse...

O mar é o meu ambiente. Sinto-me em casa =)

Beijinho*

Só Eu disse...

Falas do mar e falas da minha casa.
E que bem falas da minha casa...
Beijos

Joseph disse...

Marta
Olá

Sei o que é viver junto do mar; Vivi 28 anos em Moçambique, e sempre que podia ia para a praia depois do serviço!(á tardinha...)
Dessa forma, sei como te sentes.

Entraste em confusão a meio da história....Um dia acabarás por contá-la.

Gostei do teu poema.

Beijinhos ternos, querida amiga;)**

Sol da meia noite disse...

Há um momento para tudo... também para contar histórias.

Olha o mar... sem teres pressa... sem antecipares momentos...

Beijinhos * *

Carmem L Vilanova disse...

Querida amiga...
Estive um tempo ausente, pois os afazeres sao interminaveis, mas sempre dou um jeitinho de nao perder o contato total com os que tanto quero bem...
Um beijo grande, com muitas flores e sorrisos... e, claro... saudades!!