terça-feira, 20 de maio de 2008

CÁ DE CIMA




Vejo-te cá de cima…

Em breve, terei a lua,

………..Sempre discreta por trás de mim….

Em ti…


.........os reflexos suaves dos candeeiros…

Anoiteceu…

…………….Estamos na hora mágica de que tanto gosto…


Tantas vezes…
………….Sobre ela escrevi….

Não hoje……………….
Não te conto histórias ou sonhos…

Há qualquer coisa estranha no silêncio…
Sinto-o….
…………….e sei que o sentes também….



(Foto minha, trabalhada pelo Alex, Fundamentalidades)

5 comentários:

Carla disse...

o silêncio é estranho, mas intenso
beijos

Joseph disse...

Marta
Olá

Do entardecer, ao anoitecer, ao mistério do silêncio da noite, eis um percurso que une dois seres, que se irão amar, sinto-o...hoje!

Bonito poema.

Beijinhos ternos;)**

Alexandre disse...

H+a sempre qualquer coisa estranha no silêncio - porque o silêncio é isso mesmo: enigma, mistério, vontade de desvendar! Ai, o silêncio! Tantas palavras que ele fala!!!

Muitos beijinhos!!!

Sol da meia noite disse...

O anoitecer trás a magia em reflexos, sonhos, histórias, silêncios...
O anoitecer apaga a luz do dia revelando um tempo de ténue luz e poderosas sombras... sedutoras, envolventes...

Belo texto!

Beijos

A. Jorge disse...

Deixa-me respirar!...
Sinto-me tão bem aqui!

Um beijo

Jorge