sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

PESADELO





Cedo…
Não ao capricho dos Deuses….
……….ao meu capricho…

Não termino o texto....
Deixo as palavras suspensas...
Numa corda bamba....
No limite....
Como que exaustas....
Por hoje não ter sido um dia fácil...
No coração, guardo a esperança....
Um pesadelo apenas.....
Ter sido....
Apenas isso.......
P.S.: Imagem retirada da Net

7 comentários:

Alexandre disse...

cedemos tantas vezes às coisas que nos atormentam! É difícil lutar contra tanta coisa ao mesmo tempo, mas há que tentar sempre!

Que tudo melhor por aí!

Muitos beijinhos!!!

Carmem L Vilanova disse...

Linda amiga...
Peço-te perdao pela ausencia prolongada...
Espero e desejo que o que está aqui escrito seja somente poesia e nada de realidade... Espero e desejo que estejas bem!
Beijos, flores e meus eternos sorrsos para ti!

Sol da meia noite disse...

Ceder aos próprios caprichos. Deixar palavras suspensas. Penso que são vontades nossas que condicionam momentos nossos.
À vontade dos pesadelos, não cedas nunca... e lembra-te que a luz dum novo dia há-de ter o poder de matar esses pesadelos.

Xi-coração

Pekenina disse...

Que feches os olhos, adormeças e tenhas não um pesadelo, mas um sonho :)
Beijinho*

A. Jorge disse...

Vim só dar um beijo e pedir desculpa pela a ausência. É que não tem sido possível mesmo!
Se calhar vou encerrar o “vagabundices” para obras e depois volto, ainda não sei.

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

tufa tau disse...

são caprichosos os caprichos do não
suspender as palavras para calar o texto
deixá-las descansar ao atingir o limite
e mantê-las acessas dentro do coração

M.C. disse...

Marta,

“Palavras suspensas” são como brincadeiras que não mudam com o tempo.

Guarde a esperança....e esqueça os pesadelos,pois eles são como o mundo querendo as nossas cicatrizes.

Nós estamos aqui Marta, para dividi o choro e começar um riso.

Abraços querida :)