sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

CHAMAS DA LAREIRA







Tempo sem ti…
Não existe
Voo sempre até ti...
Encontro-me em ti…..…

.........e novamente me apaixono.................
Procuro refúgio nos teus braços
Sinto-te…
Deixo que me sintas….
Num gesto apressado….
Apago a luz…
Brincam apenas as chamas da lareira…………….





P.S.: Imagem retirada da Net (Google)

8 comentários:

Sol da meia noite disse...

É tanto o que nos escraviza, o que nos leva a trilhar o mesmo caminho duas vezes... ilusão.
Até do que perdemos nos sentimos escravos.

Beijinhos muitos

Secreta disse...

Não há tempo sem a pessoa que amamos , pois que ela é todo o nosso tempo.
Beijito.

Pekenina disse...

Deixa que os sentidos se apoderem de ti. Sentir, mesmo no breu é tudo o que precisamos. Reconhecemos os caminhos mesmo de olhos vendados :)
Beijo*

Betty Branco Martins disse...

________querida Marta



a_____luz fica


brilhando


entre os gestos


que





__________permanecem_______...




beijO c/ carinhO

Á flor da pele disse...

Sempre assim...momento a momento, instante a instante...Que brinquem as chamas da lareira...
Fica um abraço

Alexandre disse...

Sim, o tempo é aquilo que nós quisermos! E se quisermos que ele não exista, não existe, se o quisermos prolongar, prolongá-lo-emos. Este o tempo da nossa alma, dos nossos quereres... pena que o tempo vivido no real não seja assim!!!

Muitos beijinhos, Marta!!!

Joseph disse...

Marta
Olá

Olha, cá está mais um poema daqueles que eu muito gosto...
Com sensualidade,q.b.
Que as chamas brinquem... porque o resto é sério...

Escolho sempre o que mais gosto num poema:

"...Procuro refúgio nos teus braços…
Sinto-te…
Deixo que me sintas…."

Beijinhos!

Klatuu o embuçado disse...

É só love!

Agora, à lareira até dá jeito... :)