terça-feira, 15 de janeiro de 2008

INACABADO














Inacabado o poema
Que, à brisa sopro…
Sei que o entenderás
Talvez o completes….
Talvez faças estalar uma polémica…
Surpreendendo-me….
Com o ardor, a garra
Que às minhas simples palavras…
Comunicaste….
Ás vezes, sou eu que afasto as palavras
Com a minha revolta,
com a minha dor
Tu adoçá-las, então….
Reescrevo-as
E, sinto a minha alma tão leve…
Como um pássaro ao bater as asas para voar….
A água como rampa de lançamento………



Imagem : Fonte Google

6 comentários:

Sol da meia noite disse...

Quando nos deixamos libertar da revolta, sentimo-nos leves...
Viramos a página e as palavras que escrevemos, têm a leveza da alma que se sente leve...

Beijinhos

AURORA ( LOLA ) disse...

Inacabado o poema…
Que, à brisa sopro…
Sei que o entenderás…
Talvez o completes….
Talvez faças estalar uma polémica…
Surpreendendo-me….





Lindo, bjs

125_azul disse...

Lindo. E o melhor... a alma tão leve...
beijinhos, dia feliz

Pekenina disse...

A complementaridade na sua mais bela forma :)

Secreta disse...

Um poema inacabado , à espera do desfecho ideal.
Beijito.

un dress disse...

deslizar-se...á g u a... ~