segunda-feira, 24 de abril de 2017

"MAGIE NOIRE" - O FINAL



Não, não venhas atrás de mim...

Não sei se vou ficar aqui... não tenho a certeza do que vou fazer...

Tenho que o fazer sozinha e, sim, sei que estarás aí para me ajudar se for preciso...

E isso basta-me...

Tenho que deixar que te preocupes contigo, que invistas na tua carreira...

Talvez a Luisa te dê uma nova oportunidade, quem sabe?

Aproveita-a, goza-a... Tem um filho, dois... Vou ser uma tia babada...

Este é o meu momento de repensar, reconsiderar, renovar a minha vida.

Sem apoios... sozinha, numa cidade desconhecida...

E, prometo que não procurarei o seu lado negro.

Miguel, meu irmão, fica bem. 

Vou ter muitas saudades tuas!

Um xi muito apertada da tua irmã maluca.


FIM


2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

E como sempre em todos os bons contos, em todas as boas histórias, este é um fim que pode ficar em aberto porque a escrita e o desenrolar da narrativa assim o indiciam... ao nível dos grandes escritos e algo que não é fácil fazer na literatura. Parabéns por mais esta prosa :-)

Agostinho disse...

Li de fio a pavio. Gostei da forma epistolar encontrada para contar a história. O tom leve propicia a leitura de um fôlego, com agrado.

Bj.