domingo, 19 de julho de 2015

BELLA - III Parte



Então, então...” repetia Alice “ Vai ver que é só um mal-entendido!” mas Teresa abanou a cabeça e soluçou:
Não, ele tem OUTRA! Quer casar com ela!” e Alice teve que se sentar com o espanto.
Bella tentou chamar-lhe a atenção, mas a Alice afastou-a bruscamente. Ainda abriu a boca para dizer qualquer coisa, mas nenhum som saiu e só o choro de Teresa interrompia o silêncio.
A cadelinha enroscou-se no cesto. “ Que se passa com esta gente? Ainda ontem riam e agora choram. Não entendo nada!” e fechou os olhos.
O telefone assustou-as e Alice levantou-se pesadamente. Também ela não sabia o que pensar e muito menos o que dizer àquela mulher chorosa. Quem diria que toda aquela paixão ia desaparecer?
Suspirou e pegou no auscultador: “ Bom dia!” tentou ser o mais natural, mas a sua voz soou rouca e a pessoa do outro lado notou.

(Continua)

3 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta, apreciei o andamento da história e rodei atrás para melhor conhecer o principio. Assim a pude avaliar melhor o presente capitulo e dizer com propriedade: Vai com ótima condução de fábula, apesar dos personagens, serem animais domésticos.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Os animais muitas vezes são testemunhas silenciosas da vida e dos dramas dos humanos... quando não são vítimas disso também, infelizmente...

Smareis disse...

Bom dia Marta!

Os animais são muito observador, sabem tudo que acontece com seus donos. São silenciosos, compreensivos, são uns anjinhos em forma de animais.
Adorei a terceira parte.
Ando um pouco ausente, mais sempre apareço.
Um beijo!