quarta-feira, 10 de agosto de 2011

ESTILHAÇOS DE DOR

Há sempre um caminho de volta.
Poderá não ser o que se sonha,
o que se deseja.
Mas quem não teve,
na vida,
desilusões?
Quem nunca limpou as lágrimas,
olhou em frente e avançou
por entre os estilhaços da dor?
Há quem diga que falo de cor.
Como pode afirmar tal,
se nunca me olhou nos olhos
e me viu?


Foto de Jacek Gasiorowski (Art Limited)

8 comentários:

Lost Soul disse...

os estilhaços fazem a alma mais forte...


-____-

Sofá Amarelo disse...

São os olhos que dizem as melhores palavras que o corpo pode dizer, são as lágrimas que melhor expressam aquilo que as mãos querem desenhar... mesmo quando as mãos falam de cor e o que se sonha pode não ser o que se deseja... melhor mesmo é olhar nos olhos, ver e... sentir!

Paixão Lima disse...

Todos choram, com ou sem lágrimas, porque a vida é parida com dor. E viver doí!
Falar de cor é falar sem sentir. O poeta fala, mas sente o que fala, por isso não fala do cor.
Para ver, não basta ter olhos. Há quem seja cego mesmo não sofrendo de cegueira.
Quanto à vida, urge vivê-la porque estamos vivos. E o caminho da vida faz-se caminhando porque temos pés para caminhar e por isso caminhamos. Há que limpar as lágrimas....

JPD disse...

Poema excelente.
Que venha o primeiro e atire a pedra.
Bjs

♫ ♪ Wilson Miguel ♫ ♪ disse...

Marta,

Tais versos falam de cor por muitas pessoas mas sempre há forças para deixar as cicatrizes no passado...

Versos verdadeiros e tocantes!

Um grande abraço e desejo que seu dia seja repleto de paz

Deus seja contigo

Anita de Castro disse...

palavras que falam de cor
belissimo

N. Barcelli disse...

Os caminhos são imensos... mas só podemos percorrer um de cada vez...
Belíssimo poema, gostei.
Beijos, querida amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

sofrido...e ficam os estilhaços.

beij