quarta-feira, 17 de agosto de 2011

MAL AMADA

Não sei o que dói mais.
Se a saudade ou o silêncio,
numa noite que é longa demais.
Está vazia de amor,
é mal-amada por minha causa...
Porque não quero partilhar a tua memória....
Não quero dizer que partiste
e que eu fiquei...
 

Foto de Gordana Popovic, "Nothing to Lose",
Art Limited

7 comentários:

Paixão Lima disse...

Penso que o silêncio dói mais. O silêncio é a solidão e a saudade a recordação.
Noite longa de mais porque está vazia de amor...
E sem amor o tempo é um desperdício...noite e dia...dia e noite...

Maria selma disse...

Que lindo poema amiga,poucas palavras mas dizem tudo,....
Um amor que partiu que nos sentimos sós dói de qualquer jeito,quem sente é quem se sente só,...sentir saudades de momentos bons,acalma um pouco a alma mas se continua só....
Um beijo
amiga poetiza,
lindo mesmo seus poemas....
Agradeço sua visita,sigo você no outro blog,se seguires o meu pega o selinhop de seguidora,....até....

Sofá Amarelo disse...

Partir ou ficar é o dilema da memória que se esbate nas noites longas do silêncio e da saudade! Ficar ou partir está sempre pendente da memória das palavras ditas e dos gestos cúmplices...

tecas disse...

Quando o silêncio é de ausência, doi mais, querida Marta. O sentimento de perda é permanente. Bonito e triste na noite longa de solidão.
Bjito e uma flor.

Daniel Costa disse...

Marta

Mal amada por calar mágoas?
Ou querer esquecer?
Uma ideia e uma bela ideia para um interessante poema.
Beijos

AC disse...

Um muro será sempre um muro, independentemente das boas razões...

Beijo :)

© Piedade Araújo Sol disse...

há partidas inevitaveis

beijinh