segunda-feira, 22 de agosto de 2011

NOITE QUENTE

Hoje, estou louca...

A única explicação que me ocorre,
para ficar aqui sentada no jardim....
Com as sombras da noite a esconderem
o lago,
os bancos,
os caminhos,
os últimos risos...
Está quente a noite...
Não sei para onde foi a brisa...
Sei para onde não quero ir
e basta.....



Foto de José Boia "Sinto o que escrevo ao pôr-do-Sol" (1000 Imagens)

7 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Saber para onde não se quer ir é o princípio da explicação que tantas vezes não ocorre mas que está bem delineada nas sombras da noite que se escondem nos caminhos dos lagos, envoltos nas noites quentes e sem brisas... mas com luar!

AC disse...

Um poema que pode ser renúncia e princípio...
Gostei muito, Marta!

Paixão Lima disse...

Sabe o que quer ou julga saber...
Pelo que é bom mudar mesmo que não haja mudança.
Na noite quente fala num jardim, num lago e em risos...
É o paraíso que se vislumbra na noite que nos sufoca...
É a loucura que se vive num momento de rara lucidez....

Álvaro Lins disse...

Saber para onde queremos ir....é o começo:)!
Bjo

Maria selma disse...

Ficar sózinhos nos leva arefletir melhor,encontrar a paz que tanto as vezes precisamos,recordações escondidas na sombra da noite.
Lindo poema,
beijos

Liberdade. disse...

olá querida!

se você está louca saibas que não estás sozinhas,pois muitas foram a vezes que me peguei sentada sozinha
refletindo sobre minha imagem refletida nas águas de um lago!

um abração!

© Piedade Araújo Sol disse...

loucura saudavél.

gostei

beij