quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

ORGULHOSAMENTE

Se quiseres,
posso falar sobre os sonhos.

Sobre as memórias fechadas
num silêncio ventoso.

Porque ainda não falei sobre elas,
ainda as trago no coração..

Magoam-me...

Não estou orgulhosamente só;
estou dolorosamente só....

E fugo com o vento...

Foto do álbum "Palacio de Sueños" via João Mateus (Facebook)

7 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

A ilustração é interessante, parece adequar-se ao estar dolorosamente só.
A expressão de um sentimento?
Beijos

JPD disse...

Belíssimo poema, Marta.
Bjs

JB disse...

E que o vento leve essas dolorosas memórias, trazendo no regresso uma brisa ternurenta repleta de sonhos saborosamente vividos...

Bem (d)escrito!

Beijinhos

Sofá Amarelo disse...

Fugir com o vento é como sobrevoar as razões da Alma e falar sobre os sonhos em memórias fechadas mas guardadas nos arquivos do silêncio...

Secreta disse...

E que o vento te leve para onde mais desejas...
Beijito.

Nilson Barcelli disse...

Belo poema, gostei das tuas palavras.
E fugir com o vento é o que fazem os barcos à vela... veleja, por isso...
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

AnaMar (pseudónimo) disse...

A solidão que não desejamos, é sempre dolorosa.