domingo, 2 de janeiro de 2011

EM VERMELHO

Deixo-te
um último desafio na neblina da manhã...

Escreve,
no vidro embaciado as palavras
com que te seduzo...

Esconde-te na minha pele
e deixa-me sentir
o teu calor...

Deixa as tuas palavras
simplesmente
fluírem....

Em vermelho....



Desconheço o autor da imagem, recebida por e-mail...

7 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema...Espectacular....
Feliz Ano Novo....
Cumprimentos

Nilson Barcelli disse...

Simples, mas contundente...
Parece simples escrever poemas assim. Mas não é...
Gostei imenso, querida amiga.
Bom ano. Beijos.

AC disse...

Marta,
Não me senti de vermelho ao ler o poema, mas de várias cores. Muito bom!

Beijo :)

Daniel Costa disse...

Marta

Só te digo: O poeta anónimo teve um daqueles pensamemtos poéticos eloquentes e tu muita sensibilidade para o adoptares.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Vermelho é tom de Vida! E as palavras ganham êxtase quando proferidas na dimensão da sedução. Os vidros podem estar embaciados mas as palavras escondidas na pele guardam o desafio na neblina das manhãs...

Marta disse...

Daniel:
Este poema, tal como os outros do blog, é de minha autoria.
Se te referes à imagem, como digo, não sei quem é o autor, mas concordo contigo; é, em si um poema..
Beijos e abraços
Marta

avlisjota disse...

Que sempre fluam as palavras e que a sedução seja o desafio da manhã...

Bjs

José