terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O MESMO PERFIL, DUAS HISTÓRIAS DIFERENTES



Esta noite, estarei no centro do palco.
De perfil,
com um único foco de luz.

Não olharei o público,
de frente,
olhos nos olhos.

Olharei para o chão,
como se lá estivesse escrito o destino.
O meu destino.




Não quero olhar para ti.
Tudo o que verás,
tudo o que quero que vejas,
é o meu perfil.

Adivinha-me os pensamentos,
Porquê o preto e o branco?

Tenta..

Não digas que não sabes,
que não podes....

Não vou acreditar.....


Foto de Graça Loureiro, "Baby, I'm a fool" (Olhares)

7 comentários:

Sofá Amarelo disse...

O destino está sempre escrito onde menos se espera, geralmente longe dos focos de luz e é de perfil que melhor se lê os contornos do destino, porque no cinza do preto e branco há sempre pedaços de um palco colorido!

AC disse...

As coisas não nos podem ser servidas de forma convencional. Há que ousar, há que passar a fronteira do óbvio...

Beijo :)

Tod(as) palavras disse...

o olhar...denso, forte...sempre o olhar a traçar o nosso destino. poesia! beijo, Marta.

JPD disse...

Excelente.
(E não acrescento mais nada.)

Bjs

pin gente disse...

o destino é um pássaro em voo

beijo

Secreta disse...

Porque nem sempre nos queremos revelar por completo.

Vieira Calado disse...

O que é bom

é não se saber o nosso destino!

Saudações poéticas