segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

DESEJA-ME

Quando te deitares,
pensa em mim...

Não como me desejas,
mas naquilo,
que em mim,
te faz sorrir.

A forma como apoio
o queixo na mão.
Como mordo o indicador
quando estou nervosa.
E a mania que tenho de o erguer
e achatar o nariz.

Como sou mimalha, às vezes...
e a minha primeira reacção é
sempre dizer não.....

Contudo, quando te beijo, beijo-te.
Com verdadeira paixão.
E, aí, quero que
apenas me desejes!



Foto de Graça Loureiro, "(Re)Born" (Olhares)

7 comentários:

JB disse...

Marta,

Diz-se que "uma imagem vale mais que mil palavras"... neste caso "um beijo (de verdadeira paixão) vale todas as palavras!"

Adorei ler esta cumplicidade que nasce das coisas mais simples ao desejo mais profundo!

Beijinhos

JPD disse...

Boa noite, Marta

Atribui-te um prémio.
Contrapartida: replicares as nomeações.
Bjs

Sofá Amarelo disse...

Dizer não à partida é talvez a reacção mais sensual, a que melhor prepara o beijo e o desejo. Depois, as mãos e o corpo moldam-se à verdadeira paixão e o não transforma-se em sim!

Secreta disse...

Que assim seja ... ;)

AC disse...

O jogo do amor...
Belo, como sempre, Marta!

Beijo :)

JPD disse...

Belíssimo poema, Marta.
Bjs

Daniel Costa disse...

Marta

As mulheres normalmente gostas de ser conquistadas, sabe-se que é assim. O não aqui pode ser ser deduzido nesse sentido poético.
Beijos