domingo, 23 de maio de 2010

ETERNO


O que vou escrever não é uma obra prima...

Nem pretendo que o seja...

É apenas um desabafo...

É vestir-me de preto e fazer o luto..

Não vou esconder as lágrimas,

nem o desejo secreto de que,

esteja onde estiver,

esteja feliz.

Que se lembre de,

como me transformava

em bobo da corte,

só para a fazer rir...

Quando ela ainda sabia rir...

Quando ela ainda sabia o meu nome

e que eu era a sua filha querida....



Em memória da minha Mãe



26/2/1924 - 23/5/2010

Foto de Jorge Nelson Alves, "Eterno"
(Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais
proibidas

7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Perdoa-lhe todos os erros que a tua mãe também perdoará os teus.

Os meus sentidos pêsames, minha amiga.

Beijo.

belakbrilha disse...

A Morte...

É uma passagem para a outra margem!

Um beijo grande desta tua amiga!

belakbrilha

alice disse...

um grande beijinho, marta...

Carmem L Vilanova disse...

Marta querida!
Que teu coração esteja em paz, tranquilo e com o saber de que agora tua mãezinha já não sofre e, se houve erros cometidos no passado, hoje não devem ter nenhum significado que possa opacar a alegria de poder haver compartilhado tantos anos ao lado de tua mãezinha.
Beijos na alma, minha querida!
Fica com Deus!

Sofá Amarelo disse...

"Há sempre alguém que nos diz tem cuidado, há sempre alguém que nos faz pensar um pouco... ai, saudade!"

O tempo corre vertiginoso como um rio nas margens do seu leito... de vez em quando o tempo parece que se esquece e faz uma pausa... mas logo retoma o seu curso... que tantas vezes deixa tanta mágoa...

estou contigo neste momento... em busca das memórias do tempo...

Secreta disse...

Sem saber como comentar...
Deixo um beijito.

Jacarée disse...

Fiquei muito triste ao saber da morte de sua mãe.
Tenho certeza que você sente muita falta dela. estou com você.
Os meus sinceros condolências.
Bjs