domingo, 6 de setembro de 2009

ANTIGAS


Pensei que talvez pudesse reescrever,
uma das minhas primeiras tentativas de escrita.

Polir,
fantasiar, divagar um pouco.
Enfim,
escrever uma nova história
com palavras antigas.

Mas as palavras que li,
são exactamente isso;
antigas.

O que expressam,
morreu em mim.

Reescrever-te,
seria negar-te.
O mergulho
no meu próprio inferno,
muito consciente da minha fragilidade,
e da minha solidão.

A minha caneta continua a deslizar.
Há tanta coisa a contar.
Histórias,
fantasias,
sonhos.

Agora falo com prazer.
E, tão loucas como eu,
as palavras sentem-no.

Foto: "Inocência" recebida por mail;
desconheço o autor
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF, com ligeiras alterações

Dedicado a todos os meus amigos


7 comentários:

Luciana disse...

Que lindo amiga gostei muito da postagem.
Bjs e bom domingo

Sofá Amarelo disse...

A Vida é como um livro
de suspense e de mistério
onde nunca se sabe
o que vai acontecer
na página seguinte...
A Vida são páginas
de palavras ditas
às vezes com requinte,
outras apenas com alma,
mas o que importa
é que se faça da Vida
livro de muitas páginas,
que se possam folhear
com encanto e com magia
depois saber partilhar
com quem dessas páginas
do livro souber cuidar!

Aos teus 5 anos de blogues. Muitos Parabéns! Aqui fica a réplica da pequena homenagem que te fiz no Sofá... Muitos beijinhos!!!

avlisjota disse...

Bem começo por dizer que talvez seja... sei lá empatia. Refiro-me á foto pois também tenho essa foto e ando para escrever um poema a partir da foto que acho uma maravilha das maravilhas... talvez mais tarde!

"mas as palavras que li,
são exatamente isso;
antigas."

Gostei beijos

José

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Sinto-me sua amiga, Marta, e agradeço de coração a oferta de tão lindo poema. A re-escrita nunca será o mesmo que a escrita primária. Perdeu-se a inocência original, mas se ganhou em sabedoria, em "prazer" de viver e de escrever.
O seu poema é a expressão do Belo. Encantada, querida!
Beijos e beijos,
Renata
PS: Tirei aquele post do Blog; tentei escrever um poema para dar a volta por cima. Embora tenha saído extremamente "egoísta, narcisista", era disso mesmo que eu estava precisando. Cansei de nadar nas profundezas, já me afogava.

~~jorge disse...

Marta,

o poema é uma cristalização, ele faz-se e permanece (é da etimologia de "poema" que assim seja)

o leitor do poema viaja, um dia poderá ler o poema com novos olhos, ver nele novos matizes

o sujeito do poema (se existe), lentamente se transmuta

o poema é verdadeiro, permanece verdadeiro, quando nasceu verdadeiro, assim cristalizou; reescrever? por que não escrever novo poema?)

o poeta, quem quer saber de suas (reais) dores e alegrias? logo que elas continuem a surgir brilhando em seus olhos, para nos iluminar... que pediríamos mais?

o poema é tão mais verdadeiro quanto tenha nascido de um vero sentimento; e (paradoxo?) quanto mais se consiga "desligar" desse particular motivo, e ganhar sentidos para aqueles que o lerem...

o seu poema-reflexão é extremamente interessante, parece a voz de uma serenidade conquitada

a foto é enternecedora...

beijos

~~j

pin gente disse...

olá, marta!
sei que a festa é hoje, recebi o convite.
vim dar os parabéns e desejar as maiores felicidades.
beijos
luísa

Carmem L Vilanova disse...

Amiga mais querida!
Hoje 7 de setembro, se eh que minha cabeca nao esta tao mal, sei que eh o aniversario de 5 anos do "Minha Pagina" e ca estou para desejar muitos anos mais de existencia, de partilha, de amizade e de bom gosto, o mesmo que ja nos acostumastes desde um principio...
"Minha Pagina" eh, sim, referencia do belo, do sensual sem vulgaridade, da paixao, dos jogos e fantasias, eh um lugar para vir e voltar com vontade, vontade de saber e conhecer sempre mais... como a ti, linda amiga!
Muitos beijos a ti pelo dia de hoje!
Muitos anos de vida ao Minha Pagina!
Todo o meu carinho hoje eh para ti!
Beijos!