sábado, 4 de julho de 2009

REMOTOS








Vivo aquém dos horizontes conhecidos,
em sítios remotos,
onde a minha louca alma se despede de mim
e deixa o meu corpo adormecido, inerte.

Sinto que sou capaz de voar.
Fazer mil coisas,
as impossíveis dentro do impossível.
Saber onde te espero,
saber que estás lá.

O meu segredo.
O meu doce segredo
A verdade do meu desejo

Dizem,
que somos uns solitários.
Até podemos ser,
mas na verdade,
com tal horizonte,
nunca estamos sós.



(Foto "Secret Spot" Filipa Lourenço, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

7 comentários:

Fábio Paulos disse...

lindo poema

Sofá Amarelo disse...

O horizonte vive em nós como a nossa alma nos dita que a 'verdade do desejo' é 'um doce segredo'...

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

A sensualidade sempre presente nos seus poemas. Até hoje, gostei de todos. Não tivemos sorte no sábado, 1 comment para cada, e o meu foi meu!
Queridinha, publiquei no Galeria, está no capricho.
Beijos,
Renata

angel bar disse...

Bom Domingo.
Horizonte e Paz...
Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Gostei imenso do teu poema.
Onde as tuas palavras revelam mais um do teus segredos... com horizontes não há solidão. Bem pensado.
Boa semana, beijo.

Deni Maciel disse...

conmcordo com tudo
lindo lindo parabens
rimira vez aki
espero retornar mais vezes
..
e tudo pode até ser remoto
mas não impossível
xD~

sensacional...
o blog
ótima semana!...
eo
www.bocadekabide.blogspot.com
tá atualizadim
passe lá quando puderes =]

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Marta



na verdade_____nunca estamos sós!


nas tuas palavras_______o requinte poético______belo







__________________///






beijO_______ternO
resto.de.uma.boa.semana:=)