terça-feira, 7 de julho de 2009

AVALANCHE






Os teus lábios perturbam,
deliciosamente os meus.

No ar, fica o suspiro.
Na cama, o corpo aconchegado.

A minha voz - uma desconhecida.
Rouca, sussurrante, expectante.

Pede-te.
Suplica-te o quê????

Um beijo,
uma avalanche,
uma confusão,
depois, gemidos,
novos suspiros
de puro deleite...







(Imagem recebida pelo HI5)


(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

9 comentários:

Nuno de Sousa disse...

Hummm que beleza de texto... que calores por estes lado :-)
Maravilha que fazes com as palavras... adorei.
Bjs em ti amiga,
Nuno

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema...Espectacular....
Beijos

Graça disse...

Uma avalanche de prazer... lindo, Marta!


Um beijo

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Marta




amar_______é um poema


que tu


tão belamente_______sussurras


em



cada palavra_____________[...]










___________________///









beijO___ternO

Elcio disse...

sentir na pele momentos como esse é uma coisa. Conseguir transformar tao lindamente em palavras s outros quinhentos.

É isso aí.
Bjs

Em tempo, estou de casa nova ok?

Maluco do Pão (A Panda) disse...

os prazeres...

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Que lindo, Marta! Gostei muito, você realmente escreve muito bem.
Tenho duas notícias: amanhã, vá ao Galeria, post novo; depois, vá ao nosso Blog...
Beijos,
Renata

Sofá Amarelo disse...

É bom ter lábios a perturbarem os nossos lábios... provoca uma avalanche de emoções e confusões de puro deleite...

Ulisses Reis disse...

Amar e ter o cumplice para tl, nada igual, lindooooooooooo !!!!