quinta-feira, 23 de julho de 2009

NÓS OS CONSPIRADORES


Conspira-se,
quando a tua perna prende a minha,
e a tua mão se apossa do meu seio.


No meu cabelo,
a outra mão,

numa já ausente carícia.

Pois adormeces.

Eu ainda sonho um pouco.
Com teu cheiro,

fresco em mim,
ainda a provocar-me..

Sorrio levemente,
e adormeço também.
Nós, os conspiradores...


Conquistados e conquistadores.
Na transparência dos sentidos….



(Foto "Drowing" Paula Crp, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

8 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, poema espectacular....
Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Marta, querida, acho que este poema teu é, senão o mais sensual, pelo menos o que mais explicita a sua sensualidade.
Muito lindo, acho que deveria ir por essa linha, mesmo que se exponha, afinal sempre se pode alegar que "o poeta é um fingidor"
Beijos, querida,
Renata
PS: Melhoro bem

pin gente disse...

quando os sentidos são puro... são transparentes.
um beijo, marta

Peter disse...

Bonito poema Marta, pleno de amor e sensualidade.
Gostei muito, pois é dos melhores que tens escrito ultimamente.
É nitidamente o poema de uma mulher apaixonada. Será?

Nilson Barcelli disse...

Bem escrito e estruturado.
Gostei, pois claro...
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Marta querida:
Vim fazer-lhe uma visita. Já estou bem melhor. Hj, me deu vontade e publiquei em nosso Blog. Espero que goste. Gostei da sua publicação, não conhecia.
Beijos,
Renata

Nuno de Sousa disse...

Lindo... mais um belo poema cheio de beleza. bjs

Sofá Amarelo disse...

Sendo assim, também me sinto conspirador... e gostei de embarcar neste mar de ... conspirações!!!

Muitos beijinhos!!!