segunda-feira, 10 de março de 2008

VEZES SEM CONTA














Deixa que te fale do “nunca”…
O “nunca” que nunca devíamos pronunciar…
Mas dizemos sempre…


“Nunca devia ter dito isto”
Mas disse-se…

“Quem me dera nunca ter nascido”….
Mas nasceu-se….

“Ah, se soubesse o que sei hoje….”
Mas não soube


Arrependi-me vezes sem conta……….
Chorei sem motivo


Ás vezes, penso que
devia descobrir porquê…………
O porquê do “nunca”….



Mas sinto que o “nunca mo impede…
Para quê,
então interferir num equilíbrio perfeito???




(Foto: "My only love" Alberto Viana d'Almeida, Olhares.Com)

6 comentários:

Vieira Calado disse...

Nunca digas nunca!
Beijinhos

125_azul disse...

Pode não ser perfeito enquanto não interferires... Beijinhos, semana feliz

Sol da meia noite disse...

Apenas uma palavra... tantos os sentires.

Beijinhos

velaaovento disse...

Tantas vezes dizemos o que n u n c a sentimos...

Beijinhos

A. Jorge disse...

Nunca deixarei de cá vir e, deliciado, lêr o que escreves!

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

Teresa David disse...

Gostei deste poema porque...sim!
Bjs
TD