segunda-feira, 31 de março de 2008

PESADAMENTE




















Hoje...fugo e desapareço na escuridão mais agreste....**



A própria lua está hostil….sinto-o…
Desvia-se do meu caminho….

volto a tropeçar.......a cair na areia áspera…
Sinto-a a arranhar-me as mãos... e o vergão??....

O vergão na cara dói-me ainda mais….

Aqui…nas dunas….estarei a salvo….

De quê?..Sinceramente…não sei….
Estou exposto à fúria da natureza….
Preferia estar exposto à tua….
Do que me sentir assim…
Tão pesadamente…só……….




Texto escrito a partir da última frase do post "Sem Companhia"



(Foto:" E E SE NOS CALASSEMOS ENQUANTO A MEMÓRIA SE ESVAZIA?" de Mariah, Olhares.Com)

5 comentários:

Fernando Rozano disse...

estar exposto é viver. sempre. é da natureza. abraços.

Bruxinhachellot disse...

Parece um grito vindo do âmago da alma. Lute contra as forças que sugam suas energias e volte à tona com mais vivacidade.

Beijos desejosos.

velaaovento disse...

A vida sitia-nos, tantas vezes...
Baixamos os braços, as resistências enfraquecem... não leva a nada de bom, apenas ao abismo.
Beijinhos

Sol da meia noite disse...

Fugir, desaparecer... tantas vezes a opção possível.

Beijos

Bichinho disse...

BEIJO FANTASMA.