domingo, 4 de novembro de 2012

VERSO BRANCO








The Red Rose” Art Print by Chujan On




Hoje,

        tropeço em tempos de verbo errados,

em palavras mal escolhidas

       Talvez me perdoes se for

em verso branco

      E tudo o que faça sentido

         (no verso)

      seja a palavra “sensual”...

Pois não há tempo de verbo

     nem qualquer outra palavra

que melhor me defina

          (hoje)



4 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Há um verso em branco à espera do futuro, onde o tempo dos versos errados já não faz sentido, porque se a palavra é 'sensual', é porque as palavras são bem escolhidas e o tempo do verbo está bem definido!

Daniel Costa disse...

Marta

O verso branco é uma forma de escrever poesia. A maior parte dos poetas, diria dos melhores, o usa com sucesso visivel.
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

eu gosto do verso branco.

mais um belo trabalho!

beijo

LUZ disse...

Olá Marta,

Apetecia-me dar-te um VINTE.
Gosto muito de poemas, que parecem confusos, onde entrem verbos com tempos verbais errados e outras, e tantas coisas adjetivais, que são e só sensuais.

Bom final de semana.
Beijos da Luz, com carinho.