quinta-feira, 1 de novembro de 2012

DESENHOS NO VENTO









Escrevo-te uma história,

       desenhando-te no Vento,

à procura de um final feliz...

       E trato o desejo por “tu”

quando o confronto

      no prazer da minha cama...

Onde falamos de coisas loucas

        que, 

                (às vezes)

nem nós entendemos.....



Peaceful Morning” Tomas Omaoldomhnaigh

7 comentários:

AC disse...

Há desenhos no vento que são autêntica carícia...

Beijo :)

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Vivemos o amor sempre com epserança de que tenha um final feliz; às vezes tem, outras não, mas temos de entender que mesmo em se tratando de amor, há de tudo...momentos felizes, infelizes, momentos de puro prazer, mas também de puro desencanto. Não seria amor se assim não fosse, não seria vida também. Lindo, amiga! Um beijinho e até breve!
Emília

tecas disse...

Que sensual, querida Marta. Embora eu goste mais da brisa, no seu poema o vento tem um papel importante.
Muito belo.
Beijinho amigo, bom feriado e uma flor.

Daniel Costa disse...

Marta

Escrevendo o teu poema, traçaste mesmo o cenário das loucuras de amor.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Acho que ninguém entede o amor. Vive-se e basta...
belo poema, gostei.
Marta, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijinhos.

ॐ Shirley ॐ disse...

Quem disse que é preciso entender, Marta?... Lindo! Beijos!

Sofá Amarelo disse...

Não é preciso entender as palavras ditas e escritas no vento porque os finais felizes somos nós que os fazemos e a vida pode ter os finais felizes quantos nós quisermos...