terça-feira, 20 de março de 2012

SENTE-ME

Agarra-me
Que estou solta por ti
Abraça-me
Com as cordas tensas e livres do amor

Conhece-me
Que não me conheço em ti
Conquista-me
Não há rendição de quem está rendida

Completa-me
Para ser inteira ao partir para ti
Desassossega-me
Para adormecer acordada contigo

Sê um irreverente sensato
Sê um louco reverente
Sente-me

FOTO DE PASCAL RENOUX

5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

a sensualidade feita poema.

muito bom.

beij

Daniel Costa disse...

Marta

A sensualidade tem poder... ordena!!!
Beijos

Sofá Amarelo disse...

A sensualidade deambula pelas cordas tensas e pela rendição de quem já está rendida e desassossegada. Há que ser irreverente sensato ou insensato reverente porque não há nada melhor que adormecer acordado sentindo loucamente o abraço da liberdade!

Paixões e Encantos disse...

Olá Marta! Quando se ama a vonta de ser tocada de sentir o corpo de outra pessoa abraçado ao nosso é o melhor que existe

Bom fim de semana,beijo

Carla Granja
ESTE É O MEU BLOG

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt/

Nilson Barcelli disse...

Adorei o teu poema.
Muito bem trabalhado, com ritmo e sonoridade.
Beijos, querida amiga.