sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

MACIO



Acordo com os


teus beijos macios.


A tua mão a afastar-me


o cabelo da testa.


Olho-te sem te ver.


Estou ainda ensonada,


lenta a reagir.


Mas o corpo sabe,


já se molda,


procura, persegue


o teu.


Para sentir,


como a minha língua,


esses teus beijos macios


e doces.


Não sei se quero acordar,


inspirar,


soltar o ar,


olhar-te.


Ou continuar a sentir,


em todo o meu corpo,


a maciez da tua boca.



Foto de Pascal Renoux

Textos protegidos pelo IGAC -

Cópias, totais ou parciais, proibidas

7 comentários:

Graça disse...

É um dilema, sim :)... gosto destes teus poemas, sensuais, e no entanto tão simples no dizer.


Um beijo para o teu fim de semana, Marta.

[encontramo-nos por aí :)]

legivel disse...

beijos quentes sensuais
vogando em macios lençóis
esses nunca são demais
cada beijo são mil sóis.

Beijos e sorrisos.

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Gostei deste cantinho e certamente voltarei.

Carpe Diem

JOTA ENE

http://hard-jota.blogspot.com/
► conteúdo erótico ◄

Sofá Amarelo disse...

Quando os sentidos se moldam na nudez dos corpos e os beijos macios e doces deambulam pelos lábios e pela pele o melhor mesmo é não acordar... deixar que o tempo pare e que os corpos se moldem no contorno da maciez dos beijos e das mãos... leve acordar que nos transporta na viagem cúmplice dos sentidos...

alice disse...

há momentos em que pela boca e pelo beijo mostramos a vontade do corpo todo :) um beijinho, marta.

Nilson Barcelli disse...

Belo e sensual.
Como ultimamente tens sabido fazer.
Gostei imenso, querida amiga.
Boa semana, beijo.

Helena Paixão disse...

A simplicidade da sensualidade... a sensualidade da simplicidade dos sentires num belo poema!

Bjs