domingo, 31 de maio de 2009

DIFERENTE - PARTE I









Diferente

Vejo-me diferente

Sinto-me diferente

Num confronto amigável com o espelho



Há quem procure novas rugas

Novas brancas no cabelo…

Negue a verdade quando está já escrita



Eu?

Não sei bem o que quero ver no espelho

Pensar, talvez

Sobretudo, saber quem sou eu para ti?

Agora que o silêncio se transformou em desconforto….




(Foto "A Day without me" Graça Loureiro, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

10 comentários:

Ivan disse...

Meses fora da net.
Mas não sem guardar endereços que muito estimei.
Agora, volto.
E, espero, restabelecerei antigos e jamais esquecidos laços.

Beijo em seu coração!

Bom que seu espaço continua!

Http://ivandaluz.zip.net

Nilson Barcelli disse...

No espelho, vemos o que formos capazes de ver...
Gostei do poema, pelas palavras que revelam um confronto que por vezes travamos com o espelho. E que nos faz pensar...
Beijo.

Nuno de Sousa disse...

Lindo este teu momento de reflexo com a escrita e com uma realidade... o de estarmos em frente a um espelho... e ver a realidade, neste caso da tua beleza e sensualidade... por isso continua.
Bjs em ti e uma boa noite,
Nuno

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Também fiz as pazes com o espelho, ela não me incomoda de modo algum. É um amigo.
Marta:
Venho dizer-lhe que publiquei no GALERIA um post sobre um filme que versa sobre os Borgia. O post tem pouco texto. Além do filme, só o meu poema. O restante são imagens.
Conto com você.
Um abraço,
Renata

Maluco do Pão (A Panda) disse...

Conforto amigável com o espelho... Não tenho conseguido isso a tempos...

starxandra disse...

O espelho como o reverso da medalha...há dias para tu não é? Nuns o espelho faz connosco um pacto e ajuda-nos noutros parece ser o nosso pior inimigo, cruel e implacável. Assim é o amor...dias bons e dias maus!
Parabéns pela tua escrita.
Kiss!

pin gente disse...

tanto falo para o espelho
talvez para ouvir alguma resposta!
beijo, marta

alice disse...

compreendo o sentimento que aqui transmites e denoto a injustiça e a dor que causam numa alma... um grande beijinho, marta.

Sofá Amarelo disse...

O silêncio para lá do espelho... há um sempre um som que não escutamos que sussurra de mansinho do outro lado do reflexo... a verdade nunca está escrita porque...se calhar não existe!

Muitos beijinhos!!!

TMara disse...

a vida corre por onde deixamos, outras vezs arrastas-nos na falacidade do tempo.
hoje vim ler e li tudo k não lera ainda.
e sabe smp bem ler a tua voz transparente.
o espelho...
o sentir + próximo. tda a vida ohei pouco, mas smp qnd me demorava era a tentar decifrar. ainda agora. como se me pudesse olhar de fora e de mim saber + do k sei por dentro.
Bom f.s Marta.
bjs e muita luz e paz em teu caminhar.
http://tmarts.wordpress.com