domingo, 20 de agosto de 2017

O CABARET - PARTE V


Joaquim Tacanho ri-se e oferece-lhe um banco.

" Sente-se aqui.  Como se sente hoje?" 

" Bem.... Então, isto é que é a banca da Esmeralda? Mas eu pensava que ela só vendia o famoso Bolo de Kiev!? " comenta, curioso, o Luis ao reparar nas miniaturas e nos cupcakes.

" Quando ela está..." explica Letícia " Quando estou eu, trago sempre umas surpresas e os clientes gostam! Sim, porque sou tão boa doceira como a Esmeralda!" concluí risonha.

" Ou melhor!" acrescenta o Tacanho " Os clientes já sabem os dias em que ela está cá e fazem-lhe encomendas. Ela é tão honesta que deixa uma percentagem do que ganha à Esmeralda."

" Ah, ah..." ri o Luis " E a Esmeralda sabe?... Não??? Pois, está tão doida com o sonho em ser fadista e com o Tadeu!!!" e continua a rir.

Aparecem os primeiros clientes e há tanto que fazer que o Luis fica com a cabeça à roda.

Escapa-se para beber uma "ginginha" na banca ao lado e quando regressa, Letícia e Joaquim estão exaustos.

Mas o negócio correu bem, pois a banca está vazia.

" Ups" diz o Luis " Isto é que foi vender... Diz-me cá, Letícia, mas porque não abres tu uma banca e deixas o Cabaret? " pergunta curioso.

" Temos que trabalhar lá para juntar dinheiro suficiente para isso!" esclarece o Joaquim " Estou a acabar o curso de Marketing, a Letícia tem participado em workshops sempre que pode..."

" Mas porque não falaram comigo? Eu empresto-vos o dinheiro!!!" interrompe Luis.


CONTINUA

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

Cruzamento de vidas tão díspares mas que no entanto se entrelaçam numa trama que por vezes é difícil de definir... mas as relações são mesmo assim, imprevistas, e talvez só por isso a vida faça sentido...