segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O CABARET - PARTE III


" Que falta de respeito!" queixa-se o Luís " Mas estás perdoada se me trouxeres mais um copo!"

Esmeralda acaba de cantar e senta-se no bar ao lado deles.  Beija apaixonadamente o Jacinto, mas coloca disfarçadamente a mão na coxa do Tadeu.

Letícia abre novamente a boca, mas o Joaquim Tacanho, o segurança que chega nesse momento, dá-lhe um abraço de urso.

" Ai, para que me estás a magoar!" refila a rapariga " És mesmo bruto, pá! Qual é a tua? "

" Impedir-te de dizeres o que não deves!" sussurra o Tacanho e, batendo amigavelmente no ombro do Luis Abençoado, recomenda:

" Está na hora de ir para casa, Abençoado. Venha comigo que eu chamo-lhe um táxi." e leva-o.

Tadeu, Esmeralda e Jacinto ficam sozinhos no bar. Jacinto ainda acha que a viagem a Lisboa é uma estupidez, mas Esmeralda faz tanta questão que não se opõe.

Combinam ir na semana seguinte.


CONTINUA    

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

E qual o segurança que não é bruto? Ainda por cima com um apelido desses... Tacanho... que se calhar até nem será má pessoa mas tem de defender o nome do local onde trabalha, porque mesmo os Cabarets precisam de ter uma bom nome...