segunda-feira, 7 de março de 2016

LEANDRO - PARTE III



Este apresentou-se ao supervisor, explicou-lhe o que pretendia e após uma conversa para confirmar detalhes, Leandro saiu, recomendando calma.
Na rua, telefonou ao Sargento Bernardes e pediu-lhe que localizasse a Vera Almeida. O Sargento Bernardes protestou, dizendo que seria difícil contactar alguém num domingo à tarde e Leandro impacientou-se.
Consulta o site dos Edifícios Leopardo, estes sítios têm todos sites na Internet. Vê se têm gabinete de segurança e vais lá falar com eles sobre essa Empresa e essa senhora! Contacta também o médico-legista e avisa que vou lá falar com eles.” e desligou, pensando no passo seguinte.
Conhecer o morto e avaliar os ferimentos. Por isso, 10 minutos depois entrava na morgue, mas só fariam a autópsia no dia seguinte. Leandro insistiu em ver o morto e observou atentamente os ferimentos na face e no tronco e os hematomas nas mãos.
Não tinha qualquer identificação nos bolsos!” avisou o assistente “Deve ter 30, 35 anos, não mais do que isso e parece estar em boa forma física. Já tiramos as impressões digitais e amanhã consultamos os Arquivos.”
Leandro assentiu e pediu: “ Tira-me uma foto do rosto? Obrigado. Acha que ele tentou defender-se e é por isso que tem estes hematomas nas mãos? “
Só o saberemos amanhã depois da autópsia, mas posso confirmar que foi o ferimento de bala que o matou. Alguém o espancou fortemente e concordo consigo. Tentou defender-se, mas depois foi baleado. “ assentiu o assistente “ Enviamos o relatório logo que possível.”
O mais rápido possível. Eu passo cá amanhã à tarde!” prometeu Leandro e saiu para a noite.


2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

... e ficamos à espera pela passagem amanhã à tarde do Leandro... porque o texto está cada vez mais empolgante...

Helena Medeiros Helena disse...

Marta, continuo lendo... Esperando o desfecho, pois já vi que teremos grandes surpresas aí pela frente.
Um sorriso e uma estrela,
Helena