quarta-feira, 12 de novembro de 2014

SETE



7 pequenas histórias que vou contar...
Se em prosa ou em poema... não é essa a mentira. A mentira está escondida no sorriso de quem mente, de quem grita bem alto para que não haja qualquer dúvida:
É MENTIRA!”
E o pior de tudo é que a mentira está tão impregnada na pele, nos pensamentos que distorce sempre a verdade.
A verdade é sempre a sua verdade, os outros estão sempre confusos, são sempre levianos, seres inúteis que, infelizmente tem que tolerar.
Fique em paz com a sua mentira: viva-a, siga-a.
Apenas peço respeito, essa palavra que apregoa bem alto, como uma bandeira.
A sua mentira é tentar disfarçar uma insegurança que a humilha...
Se a admitisse, talvez tivesse uma surpresa...
Mas como não o quer fazer, encolho os ombros e sigo o meu caminho.
Não vou negar as minhas mentiras, a minha insegurança, os meus momentos de orgulho. Posso não ser totalmente feliz, pois ninguém o é, mas sei que não estou a mentir a mim própria.
Essa é a pior mentira de todas. A primeira grande mentira...


2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Há verdades que são mentiras e mentiras que são verdades... parece muito frase feita, mas cada um toma a verdade que quer e faz da mentira quantas vezes a sua própria verdade... mente-se mais ao próprio que aos outros por vezes, quando a segurança impera e o orgulho mais não é uma verdade mentira...

Graça Pires disse...

Há mentiras de tos os géneros e feitios: piedosas, maldosas, provocatórias. A nós mesmos é que não devemos mentir... Não merecemos...
Gostei do texto, Marta.
Um beijo.