terça-feira, 4 de novembro de 2014

CONTOS DE PRAZER - 3ª E ÚLTIMA PARTE



3ª PARTE

A MISTURA

Decidir? O quê, se tudo o que posso fazer é sentir? Este cheiro que me assalta as narinas?
O cheiro forte do café; o adocicado do chocolate numa pausa, num encontro com o tempo.
O que faço primeiro? Bebo o café fumegante ou como o bombom estaladiço?
Não sei; e não gosto de me sentir indecisa ou apressada. Gosto de degustar; tenho prazer em comer.
Há quem diga que o chocolate estraga o sabor do café. Eu acho que o completa; até faz com que sobressaia e torna-se difícil resistir.
Vou beber um gole do café e depois trincar cuidadosamente o bombom. É de menta, o recheio que se solta e brinca descaradamente com o sabor do café.
Tomo um segundo gole de café. Tem ainda tempo para se juntar ao que resta do recheio de menta, que manipula com gosto. Sorrio....
A pessoa que se senta à minha frente pergunta porquê. Mas não respondo; volto a trincar o bombom, deixo-o amolecer...
Deixo os sentidos em alerta para viverem o prazer.
Intensa...Profundamente...
É o último gole de café; já está morno, mas bebo-o o mais devagar possível. Consegue limpar-me a boca do sabor do chocolate e fica ali a pairar, vitorioso.
Mas não sabe que há ainda um bocadinho de bombom.
Que meto à boca, surpreendendo-o....


2 comentários:

Manuel Luis disse...

Uma completa surpresa para os cinco sentidos. É assim que a vida tem sabor!
Bj

Sofá Amarelo disse...

Os prazeres são relativos, para uns prazer pode ser uma chávena de café, para outros uma chávena de chá: os cheiros e os aromas e as sensações são diferentes mas o objectivo é o mesmo: ter prazer naquilo que se faz. E o importante era transportar isso para todos os actos na vida, tendo prazer em tudo o que se faz, sejam pequenos actos ou grandes...