sábado, 8 de dezembro de 2012

SEM PALAVRAS





Talvez eu esteja
       louca,
insensata
      esta noite...
Esteja apenas a amar-te,
       com loucos beijos
e abraços insensatos....
       Não tenha palavras para to dizer;
tenha medo de que a voz falhe 
        e não saibas
que te amo 
         com toda a minha alma....




Foto de Nathalia Suellen “night.falling”



6 comentários:

Nilson Barcelli disse...

O amor, por vezes, é indizível...
Belíssimo poema, gostei imenso.
Marta, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Sofá Amarelo disse...

Para amar não é preciso ter palavras, os gestos, os carinhos, os olhares, a alma e a noite... podem falar mais que as palavras... assim os beijos sejam loucos.

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes no amor as palavras ficam por dizer.

belo poema.

Boa semana.

Um beijo.

;)

MARILENE disse...

Bom seria se as pudéssemos dizer, principalmente as que demonstram amor. Mas faltam, nos momentos de maior emoção. Abraços!

Paixão Lima disse...

Louco e insensato é aquele que tem capacidade de amar e não ama.
Mas tudo é controverso ou parece ser. Há quem diga que o amor, no seu estado social, talvez não tenha nada razoável senão a sua loucura. Em todo o caso, o amor deve servir-se ao natural, sem o supérfluo e sem palavras.

Secreta disse...

Se a voz falhar, usa todos os gestos...
:)
Beijito.