domingo, 6 de maio de 2012

ÁS VEZES



Ás vezes,
não é do teu olhar que me lembro
É sentir o teu cheiro presente
Nas palavras que não dizes

Há palavras que eu também não digo
Mas sei que as sentes como uma carícia
Quando o tempo pára e pensas em mim

Podes viajar na cor do dia,
vaguear pela minha cor
Mas esquecer o calor do meu corpo?
Nunca...


Foto de Andrew Maidanik

5 comentários:

Sofá Amarelo disse...

'Às vezes no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico aqui sonhando acordado
Juntando o antes, o agora e o depois'
(Caetano Veloso)

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema de amor e ternura.

muito belo!

um bom fim de semana.

beij

AC disse...

As suas palavras são sempre brisa fresca, Marta!

Beijo :)

Álvaro Lins disse...

Excelente:)!
Respiras poesia, Marta!
Bjo

Mar Arável disse...

Eu sei Julgo que sei ou não sei

mas sei que há dias assim