sábado, 31 de dezembro de 2011

SALTIMBANCO

Dizem que levo uma vida de saltimbanco...
Não tenho “eira nem beira”,
ando pelas bermas da estrada e da vida.
Sabem lá se não gosto de andar assim,
fantasiada de ilusões,
recriando sonhos.
Os meus
e os de quem me pede para tocar...
Músicas de outros tempos,
que ninguém mais toca,
porque não sabe falar com o coração
a quem já só vive de memórias.
Eu sei,
porque a minha vida é assim:
ilusões e sonhos....

Foto cedida por José Neves

6 comentários:

AC disse...

Marta,
Desejo-lhe um 2012 em tons esmeralda.
(Gostei muito do post)

Beijo :)

Sofá Amarelo disse...

O verdadeiro sentido da Vida é ser mesmo... Saltimbanco! Nunca ficar sentado na beira do caminho, mas sim andar pelas bermas da estrada e em especial pelas bermas da Vida.

Só quem sonha e recria fantasias de ilusões sabe o sabor da vida porque a própria vida é um sonho e se calhar uma ilusão.

Beijinhos e um Bom Ano!!!!

Álvaro Lins disse...

Saltimbanco e com sonhos!?- O ideal!
Como sempre excelente!
Bjo

AnaMar (pseudónimo) disse...

Saltimbanco de sonho em sonho, a tentar que se realizem. Sem ilusões.

Momentos Inesquecíveis disse...

Ilusões e sonhos, é disso que é feita a vida...
Vivendo as ilusões, tornando os sonhos realidade...
Somos todos, saltimbancos...
É lindo..
Isabel Marques

Nilson Barcelli disse...

Saltimbanco de sonhos...
Belíssimo poema.
Gostei imenso, querida amiga.
Beijo.