quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

HISTÓRIA DO VENTO

“Responde o que sentires”
diz-me o Vento quando passa por mim...
Mas eu fico sem saber
se isto foi apenas um sonho fugaz
como o Verão...
Despreocupado, alegre, vivo...
“Mas o que importa?”,
ri-se o Vento...
 

Foto de Bruno Alves, "Symphony of Light"

7 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

mas o vento não nos leva os sonhos...

um beij

AC disse...

Tem razão o vento, Marta!

Beijo :)

Carmem Lucia Vilanova disse...

Minha amiga sempre amiga...
Um ano mais de partilha, de carinho e amizade!
O único que tenho a te dizer é Muito Obrigada, amiga! Muito obrigada!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Sofá Amarelo disse...

O Vento de Agosto é mais fugaz que o Vento de Inverno, mas a pergunta pode ser igual, porque quando o Vento se transforma em brisa suave é porque os pássaros voam mais baixo e trazem nas asas sorrisos alegres e vivos do Vento que passa...

Secreta disse...

QUe importa se foi um sonho, se o vivemos profundamente?
Beijito :)

Paixão Lima disse...

Precisamos compreender a voz do Vento que passa.....
Porque ele não passa por nós em vão......
Como mensageiro do nosso «eu» mais distante...
Como o eco do que sentimos...
Escuto o Vento e percebo aquilo que quero perceber :
O sorriso duma criança, as lágrimas de alguém, o amor duma mulher, as dores da humanidade...
O Vento é o transportador de sonhos. E sonhar é ter vontade de viver.
E todo o sonho tem asas e pode voar alto se é despreocupado, alegre e vivo...
Neste ritual «festivo» de profunda hipocrisia vou ser verdadeiro...a excepção que confirma a regra...
Levanto o meu cálice de vinho fino velho do meu torrão natal e brindo aos segredos que o Vento transporta...
Que só eu e o Vento sabemos...
..

.

Nilson Barcelli disse...

O que é importante é que ele passe...
Belo poema, gostei.
Querida amiga Marta, tem um bom fim de semana.
Desejo que tenhas um Bom Natal e um ano de 2012 muito feliz, extensível aos que te são mais queridos.
Beijo.