terça-feira, 9 de março de 2010

CHEIRO




Trivial
Dizer qualquer coisa
tão trivial
como "ai".
E eu digo-o
muitas vezes
quando me amas.
Quando me lambuzo
no teu cheiro
e fico
relutante em
o lavar de mim.
Ou tenho frio
e
não me posso
acolher
em ti.
Resgato-o,
então,
dos sonhos,
das memórias.
Mas, algo me diz,
que esta noite
me deitarás
na tua cama
e
me cobrirás
novamente
com esse
teu cheiro.




Foto de Pascal Renoux
Textos protegidos pelo IGAC -
Cópias, totais ou parciais, proibidas

7 comentários:

Secreta disse...

Algo diz , que mais uma vez, o sonho será real.

Á flor da pele disse...

O cheiro...algo por vezes tão subtil e ainda assim capaz de arrebatar memórias e emoções...

Sofá Amarelo disse...

O cheiro fica na pele, nos poros, nas mãos, no rosto, nos cabelos e especialmente nos sentidos e na alma...o cheiro é mais forte que os sonhos e transporta memórias resgatadas dos momentos de êxtase!

alice disse...

o cheiro é algo muito marcante na relação. gostei de ler. um beijo.

Secreta disse...

Bom fim de semana :)

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema espectacular....
Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

É lindo! E quantas vezes não dizemos *ai*, não é, querida?!
Beijos, Marta*************

*********
*Aconchega-me nos teus braços
Deixa-me sentir-te
Sentir que estou segura
Sentir que sou amada.
Beija-me
Apaixonadamente
Loucamente
Beija-me!
Arrebata-me os sentidos!
Satisfaz o meu desejo de ti
Da tua boca
Do teu corpo....
Aconchega-me
Poema da Renata*

+ Beijos
Ótimo Domingo!