sábado, 27 de junho de 2009

SEI LÁ

















Repito-me, eu sei

Nesse silêncio que te difama,


pois quer que eu te ignore.


Como te posso ignorar,


se és a raiz, a minha raiz?


Não sei o que o silêncio quer agora.


Parece que me persegue...


Perturba-me,


deixa-me num beco sem saída....


Nunca gostei de dizer não.


Mas já recebi tantos nãos,


tão agressivos, tão ofensivos,


que pensei.....


Disparates, sei lá....


Continuo por aí


Por vezes, sozinha...


Outras,


sou eu quem perturba


A ordem das coisas....


(Foto "Languidez" Alba Luna, Reflexos)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)



3 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Também eu recebi muitos não, Marta. Vc não está sozinha, querida.
Mandei-lhe por e-mail o selo comemorativo das 45 000 visitas ao meu Blog GALERIA.
Caso não receba, váo buscá-lo lá, pois é limdo. Beijos,

M-C disse...

______

O silêncio às vezes é doce e cruel
...mas o de tuas palavras dói.

Terrível silêncio que difama
e se derrama sobre os confins de tua pele.


(a)braços, Marta:)

belakbrilha disse...

As adversidades da vida ajudam a crecer ...

e a aprender que muitas vezes somos nós que "pertuturbamos a ordem das coisas:

Gostei Marta

bjinhos