quinta-feira, 18 de junho de 2009

LIBERTINA PAIXÃO



Atravesso o passadiço

e vejo-me na praia,
na praia, que acorda só em mim.

Dunas, canas, areia fina e limpa,


mar azul,

tão azul,

tão verdadeiro...

Sempre que me sento na posição de Buda,
a mão esquerda sob a direita,

os polegares unidos,

os olhos fechados,

mantenho a respiração suave.

Fico surda aos segredos do mundo lá fora.


Ào ciclo da vida.


Porque aqui,


neste castelo de palavras,


bêbadas de amor,


nada terminará.


Não deixo.....


Ainda me olha de frente,


ainda me chama,


esse amor,


numa libertina paixão….


(Foto "Eu faço o Mundo" Silvia Margarida, Reflexos)

(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)
(Texto colocado no WAF, mas reescrito totalmente para o blog)

3 comentários:

Elcio disse...

paixao...libertina.
filha do amor
ou
amor filho da paixao?

é isso aí.
bjs e otimo fds.

Elcio disse...

em tempo,
o end q vale é o abaixo ok:
http://www.instantes.blogger.com.br/index.html


bjs

Sofá Amarelo disse...

A paixão deverá ser sempre libertina... porque só assim a paixão faz sentido... deixar fluir os sentimentos e os pensamentos é a melhor maneira de usufruir da paixão!