terça-feira, 9 de junho de 2009

INVISIVEL, MAS PRESENTE















Falar do prazer?
Desse prazer invisível,
mas tão presente.

Deixar que rime,
em quem não sabia que existia.
Ou como se sentia.

Agora,
vive em cada um
dos poros da minha pele.

E,
torna-se visível………




(Foto "What Am I to you" Graça Loureiro, Olhares)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

6 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema...Espectacular....
Beijos

Nuno de Sousa disse...

Nada como sentir esse prazer passando do invisível ao estado visível um caminho ás vezes longo mas que se torna verdadeiro e do melhor... adorei mais este momento amiga,
bjs
Nuno

Patrícia disse...

O invisível e o visível têm uma ligação muito interessante neste poema.Por vezes as coisas visíveis não são as melhores ao contrário deste poema que está como sempre fabuloso.

Beijinhos Marta=)
Patrícia

Ivan disse...

Os prazeres da alma... nem todos valem a pena alongo prazo. Nem todos.

Ivan

http://ivandaluz.zip.net

Maluco do Pão (A Panda) disse...

Os tais prazeres...

pin gente disse...

nos poros...

um beijo, marta