quinta-feira, 10 de abril de 2008

CAMINHOS INVISÍVEIS
















Num “flirt” provocador….


Abro a janela….


Á frescura da brisa ……


Aos caminhos invisíveis que ela traça….


…………nesse silêncio…


Onde, feliz, o corpo arfa e grita …………


Sentindo… numa viagem sem fim...


Amor…desejo…


com ardor….





(Foto: "Liberdade" de Alfredo Vilela, Olhares.Com)

6 comentários:

Sol da meia noite disse...

Como é bom abrir a janela e sentir o desafio do desconhecido, na brisa que sopra...

Beijinhos

Cöllyßry disse...

Brisa que envolve o Ser, ardente...

No silêncio, onde o amor se faz...presente,

Doce meu beijo

Cõllybry

M.C. disse...

Marta,

Que lindo está teu blog!

Deixo-te a “frescura da brisa” do teu poema.

Que como sempre está belíssimo!


Bom fim-de semana!


(Abraços:)

Secreta disse...

Abrir a janela aos sentires!
Bom fim de semana.
Beijito.

Alexandre disse...

Janelas abertas são sinónimo de liberdade e só com liberdade e cumplicidade a vida é digna de viver!!!

Muitos beijinhos!!!!

Joseph disse...

Marta
Olá

"O corpo arfa..."

Poema de amor, muito, muito sensual,partindo do princípio que saíste, janela fora, levada por uma doce brisa, com ardor, até ao desejo final....

Gostei muito.

Boa semana.

Beijos ternos, querida amiga;)**