domingo, 11 de novembro de 2007

INSENSATEZ







Vadiei...
Por ruelas, ruas, avenidas...
……..de bloco aberto e mordiscando a tampa da caneta….
………………….de nariz no ar e olhando para todas as placas....
Não fosse lá encontrar......
Palavras que expliquem...
definam insensatez….
Escorregadias, arredias,
perigosas e altivas…
As palavras….
Sem querer, dão-me a solução
E já sei que....
......com altivez….
Elas rimam….
Mas o que acontecerá se eu escrever talvez?



P.S.: Imagem tirada da Net

7 comentários:

Alexandre disse...

«……..de bloco aberto e mordiscando a tampa da caneta….»

o Talvez é a palavra que eu escrevo mais vezes, talvez porque a vida não seja nem sim nem não, mas sim talvez - tudo está em equilíbrio nas nossas vidas, às vezes pende mais para um lado, às vezes para outro... acho eu... talvez!

Muitos beijinhos!!!

125_azul disse...

Talvez rime, mas porque não arriscar a insensatez? Beijinhos, semana feliz

Secreta disse...

Ficam todas as dúvidas no ar , não é ? Talvez ...
Beijito.
Boa semana :)

Teresa David disse...

Acho este poema muito muito interessante, mas o talvez é o meio caminho entre o sim e o não, ou seja, território onde paramos, não conseguindo seguir. Logo, é melhor afastarmo-nos dele e viver porque sim sim sim!
Bjs
TD

Ant disse...

O "talvez", como o "se", implicam dúvidas que em excesso provocam urticária e outros males maiores. Mas... olha outra... pois, há muitas não é?
O que eles nos ensinam...

as minhas palavras disse...

e talvez as dúvidas ficaram...
lindo post, belas palavras..
e uma beijoca para ti amgia, continua a escrever e a encantar! :)

pipocaaa =P

Maria Clarinda disse...

talvez tornar-se-á certeza...como é certo que o teu post e as tuas palavras são belas.
Jinhos