quinta-feira, 17 de maio de 2007

NA COR



A cor com que pintas o dia....
Com que imaginas o céu...

Com que esqueces o tempo...

A cor...nunca se engana...

Continua a guiar-te, a levar-te àqueles locais secretos....

Que na memória giram....

Serenos como o nascer do dia.....

Silenciosos como o lusco-fusco....

Simplesmente uma mescla de cores....

Que apagam a hostilidade dos teus dias.........


7 comentários:

Maria Clarinda disse...

Adorei estes momentos de cor!
Parabéns pelo teu blog.

Anónimo disse...

'A cor'
............
Cor ou ausência de cor. Nos momentos felizes tudo à nossa volta é cor, é poesia. Nos momentos infelizes tudo é escuridão, é ausência de cor.
Fica bem.
Um beijinho para ti.
Manuel
http://de-proposito.blogspot.com/

triliti star disse...

lindo.

Alexandre disse...

A cor da memória... a cor do dia... o tempo que escurece... a cidade que amanhece... a cor que nunca se engana, mas que nos engana a nós, que nos ludibria com o lusco-fusco rápido, silencioso e irreversível... numa mescla colorida que apaga a hostilidade dos dias... mas não a memória!!!

Beijinhos!!!

un dress disse...

arcos-de-cor.

surpreendente




mistura


...

Reflexos da Alma disse...

Olá Marta,
Realmente as côres têm uma influencia forte em todos nós ...
eu pessoalmente estou ligado às artes plásticas ...vivo das côres e das expressões que elas emanam ...
Bela reflexão ....
Um Beijo grande Martinha !

Peter disse...

Li hoje o texto que escolheste da Maria do Rosário Pedreira. Boa escolha.

Os teus textos continuam a revelar aquela hiper-sensibilidade que tanto aprecio.