domingo, 14 de agosto de 2016

A VERDADEIRA HISTÓRIA DO ZÉ DO LAÇO - PARTE VII


A mulher que entra é sexy e sabe que o é. 

O perfume dela ainda se insinua às minhas narinas e a mão arde-me onde ela me tocou.

" Tem calma, Zé. Olha que ela não é para o teu bico!" repreendo-me enquanto ela correspondeu ao beijo sensual com que Mateus (assim se chama o "convidado" do Torcato) a cumprimenta.

Leão faz-me sinal para avançar e chegamos ao restaurante quase em cima da hora.

Eles desaparecem no interior e o Leão diz-me para voltar dali a hora e meia, duas horas.

Procuro um restaurante calmo para jantar e leio o jornal.  Às vinte e três horas estaciono em frente do restaurante, mas não há sinal nem do Leão nem dos "convidados". 

Ligo o rádio e escolho uma estação que só dá música. Entusiasmo-me, ponho a música alta e só dou conta que eles saíram quando o Leão bate com força no vidro.

Saio com um sorriso de desculpa, mas eles nem dão conta, tão agarrados estão um ao outro.

Entram, o Leão instala-se ao meu lado e arrancamos.

" Para onde?" pergunto e ela responde alegremente: " Para minha casa, na Estrada da Murta!" 

Ele segreda-lhe qualquer coisa e ela desata a rir. Beijam-se furiosamente e Leão sobe o vidro da divisória.

Há risos, gritos de prazer, mas tanto eu como o Leão mantemos o olhar na estrada.

Ao entrarmos na Estrada da Murta, questiono com o olhar o guarda-costa que baixa o vidro e pergunta:

" Onde? " e uma voz grita: " A vivenda branca com as portadas verdes. " Casa Paixão ", o portão deve estar aberto."

Olho rapidamente pelo espelho. Ela já está meia despida e ele está em tronco nu.

Lá está a vivenda e o portão está aberto como ela disse. 

Paro o carro e a porta abre-se violentamente.  Ela tenta fugir, tropeça, mas ele agarra-a pelo cabelo.

" Para! Mas o que é isto? O que estás a fazer?" grita. Preparo-me para a socorrer, mas o guarda-costas impede-me.

" Fica quieto!" rosna e eu fico quieto.  

Ela continua a gritar, mas ele limita-se a arrastá-la para dentro e fecha a porta com determinação.

(CONTINUA)



3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Diálogos, pormenores e desfecho, tudo correcto numa narrativa que cada vez adensa mais a historia, drama e intensidade como se pretende numa leitura... ou até numa recreação cinematográfica ou televisiva, quem sabe... parabéns, continua...

Graça Pires disse...

Começa a ficar cada vez mais interessante e intrigante também. Excelente, Marta.
Um beijo.

Manuel Veiga disse...

apaixonante - sigo com grande interesse

beijo