quinta-feira, 14 de abril de 2016

MEDO


O tema da minha crónica de hoje seria o medo... 

O nosso e o dos outros....

Que invade, envenena, limita a existência... 

E, que muitas vezes, não enfrentamos...

Mas não, não é sobre o medo que vou falar... 

É sobre a luz e o "Bolero de Ravel"...

A coreografia poderosa de Maurice Béjard...

A sensualidade que ressoa em cada nota, em cada gesto...

O despertar da luz que acompanha essa nota, esse gesto e explode na alma...

Libertando-a do medo... O nosso e o dos outros....

 

3 comentários:

Agostinho disse...

Nada mais apropriado que o Bolero de Ravel.
Na insistência do compasso o passo chegará à melodia.

Bj

Sofá Amarelo disse...

Muito melhor falar do Bolero de Ravel que do medo... embora o medo exista e muitas vezes não consigamos fugir dele... no entanto, é possível contorná-lo, já que há tanta musicalidade à nossa volta... é saber ouvir :-)

Graça Pires disse...

Há musicas assim...
Um beijo, Marta.