terça-feira, 24 de novembro de 2015

SORRISO



Esta é a história de um dia frio de Novembro...

De mãos geladas e vermelhas... Da procura frenética de luvas esquecidas algures...

De um autocarro que se atrasa e de exclamações frustradas porque tudo acaba de mudar...

E seria o dia diferente se o autocarro tivesse cumprido o horário?...

Não sei... Porque o importante é o agora... 

Este momento em que sinto o corpo descontrair-se... As mãos a falarem...

E o sorriso... escreve-se aqui...

Nas palavras que me dita....



1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

Pode haver um sorriso nas mãos que falam frias nos dias de Novembro... é preciso é que as histórias sejam descontraídas sem exclamações frustradas...