segunda-feira, 16 de novembro de 2015

NADA




Dezembro... Natal... E eu?

O que posso dizer, fazer para encontrar no Natal a alegria de outrora?

Será porque o silêncio se torna pessoal demais e a alegria dos outros ofende-me?

Será crime confessar que estou em paz quando ouço Bach e choro com um cântico de Natal?

Porque é que não é Natal se me sentar com um livro no colo e viver intensamente a aventura que descreve?

Não sei... Falo com as minhas irmãs todos os dias... 

E não preciso de mais nada...




3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Natal é agora... se quisermos, Natal é amanhã... se quisermos, Natal é para a semana... se quisermos! Cada vez acho que o Natal é mais simbolismo e tudo o que é simbólico é intemporal, por isso Natal pode ser sentar com um livro no colo...

Graça Pires disse...

"Será crime confessar que estou em paz quando ouço Bach e choro com um cântico de Natal?"
Maravilhoso, Marta! Que mais acrescentar?
Um beijo.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Ainda agora estou a ouvir Bach :) De resto, é Natal sempre que fazemos alegria em nós e nos outros...

Beijo amigo