domingo, 23 de agosto de 2015

O PECADO DE MADALENA - PARTE II



Sim, o Joaquim era um alcoólico em recuperação. E tudo tinha começado quando a Júlia, a mulher tinha fugido com o professor de yoga e morrido naquele desastre aparatoso. Por muito que lhe doesse a traição, teria recuperado se aquela maluca não tivesse levado também o filho de ambos e a criança não tivesse ficado ligada às Máquinas. As Máquinas que o Joaquim teve que concordar que fossem desligadas. Ficou até ao fim e depois entrou no bar em frente do Hospital e bebeu.

Continuou a beber durante o funeral e nos meses que se seguiram. Desleixou-se, desinteressou-se do negócio até que a Mãe, uma pessoa discreta e que tanto sofreu com o vício de jogo do Pai, teve uma conversa muito séria com ele.

Não foste só tu quem perdeu o Nico. Eu também o perdi e nem sequer te lembras disso! Custa-me, mas o que me custa mais é ver que estás a desistir.

Não só do teu filho, mas do resto do Mundo e tenho a certeza de que o Nico não queria que estivesses assim.”


2ª Parte do meu conto sobre "Caprichos"

2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Muitas vezes caprichos e vícios confundem-se e podem parecer a mesma coisa, o grave mesmo é quando os atingidos não conseguem ultrapassar nem uns nem outros...

Miguel disse...

Encontro-me de férias na Escócia, de momento em Thurso, a dois passos do Mar do Norte, onde o acesso à Net (e à civilização dum modo geral  ) é bastante difícil.
Quando regressar a Bagno a Ripoli, o que deverá ser em finais de Setembro, visitarei todos os blogs amigos.
Até lá desejo-te tudo de bom e dias muito felizes.
Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA