sexta-feira, 5 de junho de 2015

AFINAL




Esta é uma carta diferente...
Pois não a escrevo para alguém, mas sobre alguma coisa...
A arrogância.... O que posso eu dizer sobre a arrogância?
Escreve-se no corpo, lê-se nas palavras, rasga-se nos gestos...
Mas o que magoa mais é o olhar agressivo...
De quem, afinal, não acrescenta nada de novo à vida...



1 comentário:

Graça Pires disse...

A arrogância é uma coisa execrável, rugosa, dispensável...
Um beijo, Marta.